Grafologia é usada na seleção de candidatos a empregos

Jornal do Brasil

RIO – Já foi o tempo em que bastava um currículo de qualidade, dezenas de cursos de capacitação e o domínio de pelo menos uma língua estrangeira para traçar o caminho mais curto até uma vaga de trabalho. Várias empresas têm adotado outros procedimentos na escolha do futuro colaborador, como mapa astral, exame da íris e outras novidades que dão um retrato aprofundado daquela pessoa. A última novidade é o teste de grafologia.

Para muitos pode parecer um exagero, mas os especialistas em recursos humanos garantem que a técnica de avaliar a escrita pode revelar muita coisa da pessoa, como o espírito de liderança, relacionamento e equilíbrio emocional.

Segundo o diretor da consultoria JR Lages, José Roberto Lages, a grafologia permite uma maior agilidade no processo seletivo e oferece mais segurança na tomada de decisão em relação à contratação do profissional.

– A grafologia é um instrumento projetivo (utilizado para revelar aspectos da personalidade não tão perceptíveis) que permite verificar quaisquer características de personalidade, caráter, além de aspectos que são estruturais do indivíduo e os que são circunstanciais – detalha Lages.

Segundo o consultor, as empresas informam quais as características que devem ser avaliadas no candidato como: liderança; gerenciamento de tempo; relacionamento; iniciativa; capacidade de negociação; equilíbrio emocional; empreendedorismo; pró-atividade; criatividade; sentido de oportunidade entre outros pontos.

Saúde

Ao se analisar a escrita de uma pessoa é possível, garante o especialista, conhecer vários traços do indivíduo, inclusive problemas físicos, seja do aparelho circulatório, respiratório, digestivo e questões neurológicas. Em algumas situações é comum o perfil grafológico apresentar traços de personalidade completamente diferentes dos percebidos na entrevista do recrutador.

Afinidade com a proposta da organização

A adoção de técnicas diferenciadas para avaliar um candidato, no caso a grafologia, tem como objetivo contratar profissionais comprometidos com a proposta da organização e adequado aos padrões estabelecidos.

– As organizações não toleram profissionais descomprometidos com o negócio, desonestos, despreparados, desagregadores e indisciplinados. Algumas ainda admitem profissionais esforçados, mas com pouco conhecimento técnico, na esperança desses indivíduos melhorarem as suas performances com o tempo. As empresas estão buscando profissionais eficazes, voltados a resultados. Valorizam a ética e a maneira como esse profissional se relaciona com os seus pares. A visão de futuro também é levada em consideração na hora de contratar – destaca José Roberto Lages.

De acordo com o consultor, não é por fazer um teste de grafologia que o candidato deve mudar sua personalidade. Este tipo de comportamento pode até atrapalhar durante o processo de seleção.

– A seleção é um processo de comparação, onde são confrontadas duas variáveis. O perfil da vaga, ou seja, o que a empresa busca. E o que o candidato oferece. Oriento para que a pessoa seja ela mesmo e não um personagem, pois, às vezes, o perfil da vaga é exatamente o perfil apresentado pelo candidato.

Não há posts relacionados.

Deixe um comentário