A Média Gerência e as Teorias de Motivação

Para iniciar nossa conversa sobre a eficácia da aplicação de diferentes teorias de motivação pela média gerência é importante ressaltar que as teorias motivacionais não são receitas de bolo, não podem ser simplesmente repetidas como uma fórmula química, portanto, aplicações repetidas não irão garantir sucesso ou fracasso pessoal ou da equipe.

Mas com certeza, reconhecemos que esses estudos sobre motivação pessoal e motivação em equipe são orientações importantes das quais a partir de sua compreensão e da contextualização da empresa e das pessoas podem sofre adequações ao uso.

Para um diagnóstico efetivo da motivação pessoal ou da motivação de sua equipe, a média gerência deve utilizar uma pesquisa de avaliação do clima organizacional. O resultado dessa pesquisa pode levantar opiniões e percepções de valor para que os gestores da empresa possam conhecer e entender melhor o comportamento dos colaboradores, possibilitando a definição de estratégias que potencializem os fatores de satisfação e minimizem as causas de insatisfação.

Assim, o estudo das teorias nos permite identificar alguns pontos relevantes sobre a motivação e o clima organizacional mas reforça-se sempre a ideia inicial de que não existe um modelo de diagnóstico nem solução que possam ser aplicados em todas as organizações. Os modelos precisam ser desenvolvidos e ajustados à realidade de cada empresa.

Segundo Chiavenato (2005), cada pessoa é atraída por um conjunto de metas e se a empresa pretende prever o comportamento de cada um é preciso que se conheça o conjunto de metas e o que cada um fará para alcançá-lo à sua maneira (motivação pessoal).

O fundamental é haver uma compreensão por parte da média gerência e da organização de que nenhuma teoria irá suprir à ausência de respeito, feedback e de significados.

A proximidade, a boa comunicação quer na transmissão das mensagens, quer ao se dispor e ao saber ouvir sua equipe é fundamental. Talvez seja a atitude básica para a implementação de programas motivacionais.

Assim, deve-se partir do pressuposto que independente da Teoria de motivação que os administradores tomem como referência, o mais importante é um relacionamento interpessoal saudável, de qualidade – que de fundamente em tratar o ser humano com dignidade e respeito.

Não há posts relacionados.

Deixe um comentário